terça-feira, 18 de junho de 2013

Quero ver uma aurora boreal: Quais as cidades mais propícias na Europa?

Para responder essa pergunta, primeiramente é importante saber que as luzes do norte ocorrem com mais freqüência em uma zona em torno do pólo magnético, a uma distância de 2,500 km do Pólo Norte. Essa também chamada "auroal zone" inclui locais como o norte da Escandinávia, Islândia, na ponta sul da Groenlândia, no norte do Canadá (Territórios do Noroeste, Manitoba e Yukon), Alaska e ao longo da costa norte da Sibéria. Entretanto, há alguns destinos específicos que são mais voltados para turistas que procuram as luzes do norte e que também te dão uma boa chance de vê-las. Existem muitos palpites sobre os melhores destinos na internet, aqui vou selecionar os mais comentados, que estão aqui perto da Espanha e que acredito que vão nos dar uma boa chance de ver as luzes:

Noruega

Tromsø, norte da Noruega

Foto de Bjorn Jorgensen / National News & Pictures
(Ersfjord, prox a Tromso)
Conhecida como a "Paris do Norte", Tromsø é um local bonito, acessível e bastante popular para ver as auroras boreais. Há algumas opções para vê-las, como no convés de um navio a vapor tradicional como o Norwegian Coastal Steamer, Hurtigruten, (em viagem especial: "Northern Lights Cruise" ou tradicional: "Seven-day classic voyage North") vendo as luzes do norte ao longo do fiorde; ou de forma mais econômica, se dirigindo a zona rural e escura em torno da cidade, em um ônibus ou carro, em uma viagem de 40minutos, você vai encontrar-se entre as montanhas de neve altas e um ambiente pacífico. Existe serviço de ônibus entre a cidade e Ersfjorden antes da meia-noite, destino conhecido por possuir boas condições para ver as auroras, como as da foto ao lado de março de 2008.
Os melhores meses para vê-las a partir de Tromsø são dezembro, janeiro, fevereiro e março, ainda que vi relatos como os da Paola Gentile que as viu em setembro (15) há aproximadamente 40km de Tromsø. As excursões geralmente levam para um acampamento e inclui outras atividades de inverno, como cão de trenó ou renas e passeios de snowmobile, também há cerca de 12 museus e 3 galerias de artes na cidade o que permite que, caso não haja auroras, pelo menos há diversão.
A Paola Gentile sugere mais algumas atividades que pode interessar aos que não encontrem as auroras nessa região, não que vá te confortar muito, mas você pode tentar:
1. O Kinematograph, cinema mais antigo da Noruega.
2. O halibut, peixe branco do Mar Ártico - fica delicioso grelhado com shiitake, cenoura e raiz de salsão.
3. Em Tromso, há várias bibliotecas públicas, como esta, no centro, que abre aos domingos.

Como chegar em Tromsø? Ao que me pareceu, o mais viável e "barato" é de avião desde Oslo, mas já aviso que de barata, essa viagem não tem nada. Para se ter uma idéia, saindo de Madrid, te sai mais ou menos 500€ em setembro para chegar em Tromsø.

Finlândia

Kilpisjärvi, vilarejo na fronteira com a Finlândia

Foto de Paul Simma no caminho para Kilpisjärvi
Kilpisjärvi possui 2 estações de pesquisas astronômicas o que prova a importância de ir até lá pra ver nosso fenômeno, mas está mais para uma aldeia que para qualquer outra coisa, possui um lago com o mesmo nome, muito conhecido pelos viajantes da região, também é uma paisagem maravilhosa para ver a Aurora Boreal. Este destino pode ser cogitado como parte da viagem a Tromsø, se sugere uma viagem de carro de 170km, em que se pode apreciar paisagens belíssimas e com a possibilidade de comer no meio da estrada as comidas típicas da região (Rena). As atrações turísticas mais famosas de Kilpisjärvi além das auroras, são o Saana, geologicamente parte das montanhas escandinavas e o Treriksröset (em sueco ), Treriksrøysa (em norueguês), Kolmen valtakunnan rajapyykki (em finlandês ) é o ponto em que as fronteiras da Suécia , Noruega e Finlândia se encontram, localizado a cerca de 2,5 km a noroeste do Lago Kilpisjärvi .
Os relatos sobre as auroras vistas desde ali são maravilhosos, mas para valer a pena dependem do nível de atividade do sol, ou seja, o legal seria poder consultar com a NASA (mas eu ainda não encontrei o bendito link).

Saariselka, norte da Finlândia 

Foto de Antonio Ontangas
Saariselkä também me pareceu um ótimo destino, principalmente se você tá precisando de umas merecidas férias como eu e pretende lidar com o fato de não poder ver as auroras, de maneira divertida.
Está situada também na região montanhosa da Finlândia, ao norte da Lapônia, está a 31km de Ivalo, onde há o aeroporto mais próximo.
O ambiente é muito propício para ver as auroras, ali há níveis muito baixos de poluição do ar o que significa que se vê cerca de 200 ocorrências noturnas das luzes do norte a cada ano. Muitos turistas escolhem Saariselkä como sua base para ver a aurora boreal, que são ditos para ocorrer em 75% das noites durante a temporada de visualização, que é a partir de novembro até iníco de março. 
Igloo Village Kakslauttanen
Caso o tempo não ajudar a vê-las, o pequeno povoado de Saariselkä oferece inúmeras atividades como: esqui (de novembro a maio), caminhadas, passeios em snowmobile, pesca no gelo, trenós com huskies, safaris, excursões para passar uns dias em cabanas ou iglus, um hotel que te permite ficar em iglus de vidro perfeitos para ver as luzes do norte comodamente  e um spa de animar qualquer um a ir até lá pra esperar as Auroras. É tipo a experiência de ir passar umas férias no mundo do papai noel, caso não haja auroras, há diversão garantida.
Como chegar em Saariselkä? Avião ou trem. Um voo de Madrid até Ivalo, sai mais barato que ir a Tromso (350€) e os hotéis não me pareceram tão absurdos em preço, na verdade tem de todo preço.

Suécia

Kiruna, norte da Suécia

Ice Hotel. Foto de Tania Tálamo
Também parece um bom destino e também é escolhido por muitos. Com cerca de 19.000 habitantes e 23.000 em todo o município, nessa cidade está uma das maiores igrejas de madeiras da Suécia, de estilo Arte nova e construída em 1907. Também está próxima ao famoso Ice Hotel, localizado no povoado de Jukkasjärvi, há 19km de Kiruna, que te permite fazer visitas ao local ou para os mais corajosos, passar uma noite nas camas de gelo, o preço não parece dos mais absurdos, está em torno de 140euros por noite.  Mas se você achou isso pouco, você também pode casar lá, em alto estilo, se bateu uma leve curiosidade dá uma olhada nas fotos do site. Realmente esse local é uma visita indispensável, mas lembre-se que só está aberto de dezembro a março, ou seja, inverno, ainda que há algumas atividades para verão é bom dar uma olhada no site Ice Hotel
Á aproximadamente 98km de Kiruna também está o povoado de Abisko, também bastante conhecido como destino perfeito para ver as Auroras, se pode ir de trem, explico melhor a seguir.
Foto de Taichi Kaminogoya on Flickr
Kiruna além de estar estrategicamente localizada entre essas duas cidades, também tem próxima a ela algumas estações de estudos espaciais e isso nos deixa a entender que se é bom para investigar o espaço, também é uma boa opção para os caçadores de luzes do norte.
Kiruna por ser uma das principais cidades do norte da Suécia, também conta com boas conexões em trem que podem interessar ao viajante, como por exemplo, a empresa de trem SJ lançou um bilhete que te permite circular livremente por três dias entre Kiruna e Narvik na Noruega, são 18 paradas nesse trajeto de quase 200km que facilita a visita pela zona e te aproxima mais do polo norte de maneira bastante cômoda e rápida. Os preços variam bastante, mas já aviso que tem preços acessíveis para estudantes e menores de 26 anos chamados de "Sista minuten" (Last Minute).

Como chegar em Kiruna?
Kiruna tem aeroporto e as passagens também saem mais baratas que pra Tromso, saindo de Madrid, saem por cerca de 400€. Há outra opção em que você pode ir pra Estocolmo, que é a capital do país e sai bem mais barato a passagem, em torno de 200€ por pessoa, de Estocolmo há conexões em trem para Kiruna, Abisko e Jukkasjärvi. Fiz uma estimativa de preço pra setembro, por curiosidade; para ir a Kiruna desde Estocolmo, uma viagem que tem duração de 16 a 20horas (dependendo do trem), geralmente se faz em trem noturno, pra perder menos tempo de passeio, sairia no mínimo e comprado adiantado por 130 euros por pessoa, ida e volta. Mas caso você seja estudante, menor de 26 anos ou pensionista, esse preço pode baixar. No final, se seu interesse é chegar o mais norte possível para ver a aurora, acredito que vale mais a pena ir direto pra Kiruna e não perder tanto tempo em trem, a não ser que você tenha bastante tempo.

Abisko, norte da Suécia

Foto de Sebastian
É um vilarejo com 135 habitantes, situado também na província histórica da Lapônia, e está localizado na margem do lago Torneträsk e a 4 km ao oeste desse situa-se o Parque Nacional de Abisko. É interessante cogitar esse destino como parte da viagem a Kiruna, porque está  a umas 4 ou 5 estações de trem e ao parecer, nesse povoado não tem muito mais pra fazer do que caçar auroras boreais.
Foi considerado pelo Etravel como um dos melhores destinos para ver as luzes do norte, por dois motivos: é um dos pontos mais confiáveis ​​para ver as luzes do norte e está bem equipado para os turistas. Localizado 155 milhas dentro do Círculo Polar Ártico, a cidade possui o céu mais limpo e o clima mais seco da Suécia, livre de luz e poluição, criando condições ideais de visualização.
É aconselhável visitá-la entre setembro e final de março pois tem noites mais longas e escuras, favorecendo a visualização. Ali também está a Estação Sky Aurora, localizado no topo da maior passeio teleférico da Suécia, tem uma plataforma de visualização e uma exposição interativa de física nuclear e atômica. Também é possível ficar em um quarto de hotel com visualização telhado de vidro para aumentar o seu tempo de visualização. Em Abisko só encontrei 2 hotéis, e o Etravel recomendou o Abisko Mountain Lodge dizendo que tem quartos limpos e funcionais, mas não vi telhados de vidro.

Em outros momentos cogitei ir a Helsinki para ver as Auroras na região rural próxima a cidade, mas seguramente as possibilidades são mais reduzidas que nesses outros locais que sugeri, por motivos que já comentamos no post anterior, iluminação, poluição, etc. Acredito que já que se vai pra tão longe, pois que seja para o lugar com maiores chances e de acordo com minhas pesquisas, os locais que os indico estão entre os mais cogitados para ver as auroras pois estão dentro do círculo polar artico, onde costuma acontecer esse fenômeno, mas querendo arriscar, fica a vontade.

Se você já foi para algum desses locais, deixe seus comentários ou dicas abaixo, que possam ajudar aos futuros viajantes e caçadores de auroras boreais na Lapônia. 

Besitos...

Outras fontes:

Quero ver uma aurora boreal: O que eu faço?

Depois de alguns meses de muito trabalho e muitos atropelos na minha velha vida perfeita, que hoje em dia já nem é tanto, mas continuo sem poder reclamar, as coisas tem caminhado bem para o meu currículo "pouco expressivo", estamos trabalhando duro nisso, então acho que mereço uma super viagem com direito a realização de sonhos quase impossíveis.

Então, me veio a cabeça a Aurora Boreal, não poderia querer algo mais complicado, mas sinceramente, na época que a descobri e sonhei em vê-la não parecia tanto.
Janeiro de 2013. Foto de Ra Station Club
Pesquisando pela internet podemos ver relatos maravilhosos sobre essa experiência, entre tantos que li, houve um que me deixou toda arrepiada só de ler, escrito pela jornalista Paola Gentile, é emocionante a sorte que ela teve. O mais interessante nesse tema é que quanto mais você lê, mais apaixonado você fica pela idéia. Já sinto que as Luzes do Norte, ou Aurora Boreal (como queiram chamar) é aquele tipo de coisa que você tem que viver antes de morrer. O fenômeno por si só já explica a minha paixão por ele, mas abaixo espero que vocês possam entendam melhor o porque essa beleza entrou no meu top viagem dos sonhos e já digo que não é nada simples planejá-lo.

Coisas positivas há muitas nessa aventura, mas também há o fato de que muitas pessoas viajam grandes distâncias para testemunhar as Luzes do Norte, e não vêem nada, então você tem que ir pensando que vai conhecer a cidade e se rolar uma aurorinha, tá saindo no lucro.
Aqueles que são agraciados com a sua presença sobrenatural está em uma das exposições mais impressionantes da natureza do planeta, é notoriamente indescritível e mesmo que se veja por fotos e se tenha uma ideia de como são, não se compara com o visto a olho nu.
A aurora boreal sempre provocou fortes reações de quem as viu, estabelecido no folclore como bons ou maus presságios. Os vikings, por exemplo, se diz que acreditava que eles eram um reflexo etéreo dos espíritos de virgens.
Os asiáticos acreditam que quem tenha visto a Aurora Boreal viverá feliz o resto da sua vida. Especialmente, acredita-se que seja uma fonte de fertilidade.
Eu particularmente gostei bastante da crença dos asiáticos e resolvi ficar com ela, eles parecem um povo muito sábio e ha de ser positivo nessa vida.

Esse post está sendo gerado de acordo com que eu vou encontrando de informações relevantes sobre essa "caçada". Relevante, digo do ponto de vista de alguém que não conhece nada sobre o norte europeu e que tão pouco sabe muito sobre luzes do norte. Então, pra começar achei importante saber...

Como se origina a aurora boreal?

Gráfico por Al Blasko, Accuweather.com

"A aurora polar é um fenômeno óptico composto de um brilho observado nos céus noturnos nas regiões polares, em decorrência do impacto de partículas de vento solar e a poeira espacial encontrada na via láctea com a alta atmosfera da Terra, canalizadas pelo campo magnético terrestre." WikipédiaBR

" O fenômeno é criado pelo "vento solar": partículas eletricamente carregadas que o Sol lança em todo o sistema solar. As partículas são atraídas para o campo magnético da Terra em torno dos pólos, o que é por isso que eles são visíveis em latitudes extremas. À medida que atingem a atmosfera da Terra, as partículas ionizam, liberando cargas que aparecem visível para nós como a luz brilhante." Etravel

Já dá pra entender que vamos ter que ir o mais próximo que podemos dos polos. Mas surge outra dúvida:

Quais as condições mais propícias para vê-las? 

Apesar de ter visto em outros sites algumas dessas dicas, não posso deixar de dar os créditos a Rebecca Burns e Paola Gentile que sugerem a maioria deles:

1 - As Auroras ocorrem durante todo o ano, mas para vê-las corretamente são necessárias duas condições básicas: que o Sol esteja em intensa atividade, expelindo porções de sua superfície com força e velocidade suficientemente altas para que cheguem à Terra e sejam sugadas pelo magnetismo das regiões polares (no Polo Sul, chama-se aurora austral), e já que são geradas muito acima das nuvens, é necessário que o céu esteja sem nuvens.
Aurora Forecast
2 - Existe algumas maneiras de estar atento ao surgimento das auroras, eu vi muitos comentários de que a NASA oferecia informações na net da atividade solar, mas na verdade quem oferece é a NOAA através de um satélite da NASA, e num mapa atualizado de 30 em 30 segundos é possível saber "á quantas" andam a atividade solar, está medida em uma escala de atividade de 1 a 10 ou em porcentagem de chances de vê-las, quanto maior o número na escala, maior é a possibilidade de vê-las. De qualquer maneira encontrei dois sites: NOAA¹ e NOAA² ; e uma aplicação para Android e iOS chamada Aurora Forecast que oferece informações oferecidas pela NOAA POES e do Instituto Geofísico da University of Alaska Fairbanks, mas há mais aplicações semelhantes disponíveis.
3 - Evite viajar para vê-las nas épocas de lua cheia, quando o céu está muito claro para vê-las, pois sem a iluminação da lua é possível inclusive vislumbrar as luzes do norte em algumas cidades, entretanto, elas parecem mais emocionantes se você estiver longe da poluição luminosa, ou seja, em destinos mais rurais.
4 - Na maioria dos destinos, a melhor época para vê-las é no início do Outono (de Setembro a Outubro) e início da Primavera (de Março a Abril) - embora isso possa depender do seu destino específico e das condições climáticas locais.
5 - As auroras boreais parecem surgir com mais frequência a partir da tarde até as primeiras horas do dia (por volta de 18:00-1:00).
6 - Se você quer do fundo do coração fotografar as Luzes do Norte, você vai precisar de um bom equipamento (uma câmera que permite que você use exposições longas,10-30 segundos, e uma lente rápida, ampla - de preferência com um cabo disparador remoto para evitar a vibração da câmara), um tripé e uma grande dose de paciência.
7 - Caçar auroras significa ficar horas e horas olhando para o céu, apenas esperando e essa pode ser uma tarefa um poco tediosa, afinal você vai ficar vagando por aí, num frio anormal. Por isso alguns preferem esperar tomando algo, tipo vodka ou conhaque, espanta o frio e te rende um momento "connecting people". Aconselha-se comprar no free shop do aeroporto, principalmente se você for para Noruega, as coisas lá são caríssimas e já me disseram que nos seus vizinhos as coisas não mudam muito.
8 - Muitas pessoas reservam pouco tempo para ver as luzes do norte e saem desapontados porque nem sempre conseguem vê-las. Pensando de forma realista, você precisa reservar pelo menos uma semana em seu destino para obter uma boa chance de vê-las corretamente

É importante lembrar: você está à mercê da natureza, o que inclui o tempo e que as luzes são notoriamente inconstante.

Fala sério, tá ficando complicado...
Com essas informações iniciais já da pra começar a refletir na questão: Para onde ir?
Para responder essa questão eu decidi fazer outro post só com as cidades pra não ficar muito extenso esse e além disso, venhamos e convenhamos, responder essa pergunta não resulta ser a tarefa mais simples do mundo.

Nos vemos em breve,
Besitos a todos. =)

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Caçando o melhor momento para ver uma chuva de meteoros.

Oi pessoal! 

É, reapareci no blog com uns temas novos, desde julho do ano passado as coisas apertaram por aqui, mas não esqueço de juntar material para postar certos temas que gosto aqui, então aguardem que em breve tem mais. Mas vamos ao que interessa... 

Fiquei sabendo, meio que atrasada, de uma chuva de meteoros nos nossos céus o que me animou em compartilhar como vocês tais informações, já que pode ser que alguém queira usar a criatividade e preparar uma surpresinha com aquele momento "romance", levando @ namorad@ pra um matinho, praia ou camping afastado da cidade para tomar um vinho enquanto espera a boa vontade de um par de estrelas cruzar os céus, contanto a história da vinda do Kal-el... Rapaaaaz, fala a verdade que a dica é boa?! 

Nesse post vai rolar mais umas dicas pra ver se a coisa flui de verdade e você junta um pouco de otimismo com coragem e realiza a ideia de avistar as chuvas de estrelas seja qual for a situação que você vai criar. 

Foto de http://sipse.com
Enquanto escrevo para vocês, queridos bloggers, inúmeras estrelas cadentes "voam" nossos céus e infelizmente eu não consigo ver nenhuma. O primeiro motivo é que temos por aqui uma bela e maravilhosa Lua, bem cheia, que não me permite ver nem 1 estrela normal sequer, quanto mais uma cadente; e segundo, eu não tô nem um pouco disposta a esperar até ás 6 ou 7 da manhã para tentar ver uma, dado que eu estou no meio da cidade, iluminação demais reduziu minhas probabilidades de visualização. Desde o dia 16 de Abril está acontecendo esse fenômeno e vai até o dia 25 de abril, pelas previsões de estudiosos o ponto máximo foi hoje pela manhã (22 de abril, horário Espanhol).

A chuva de meteoros que ocorre essa semana é do grupo das Líridas, que tendem a ser surpreendentemente brilhantes, muito rápidos e muitas vezes deixam rastros luminosos, o que facilita a visualização daqui da Terra, chegam a ser vistos de 10 a 20 meteoros por hora, ainda que em algumas ocasiões foram visto até 100, aí já vai uma questão de sorte mesmo, porque eu já cansei de olhar o céu, mas minha localização também não ajuda. Estes meteoros se distinguem por desafiar os pronósticos apressurados. Inesperadas explosões empurraram as taxas de meteoros Líridas a 90 meteoros por hora em 1982, 100 meteoros por hora em 1922 y 700 meteoros por hora em 1803. Antigos registros chinos informam que os meteoros Líridas caíram como chuva no ano 687 A.C. 

Para quem deseja ver alguns meteoros entre os dias 22 e 25 de abril, é aconselhado tentar antes do amanhecer, quando a lua já deixará o céu mais cedo e estará escuro o suficiente para vê-los. A maior parte dos meteoros Líridas costumam voar a partir das 3 da manhã (horário da Espanha; 22hrs no Brasil, para o Brasil, vi pessoas sugerindo vê-los a partir das 24hrs) até os primeiros raios de sol, a lua vai sair de cena poucas horas antes de amanhecer. Ainda dá tempo! Esta chuva será visível tanto do hemisfério norte, como do hemisfério sul, mas será mais fácil ver do hemisfério norte, portanto, quem estiver na Europa não perca a oportunidade. Bom, se você não conseguir pegar essa chuva de meteoros, durante o ano tem mais. Abaixo coloco para vocês as próximas, igual como informa o site earthsky.

5 de maio, 2013 - Eta Aquarids 
Esta chuva mostrará a maior quantidade de meteoros antes do amanhecer do dia 5 de maio. Por sorte, a lua minguante não vai impedir que vejamos as Eta Aquarids de 2013. Esta chuva de estrelas será visível também em ambos hemisférios. Em latitudes médias do hemisfério norte, cairão de 10 a 15 meteoros por hora. No hemisfério Sul os números serão muito maiores, portanto queridos brasileiros, essa será a vez de vocês. Em sua maior parte a chuva ocorrerá antes do amanhecer. A chuva aparecerá ao este e sudeste, por volta das 4 da manhã e poucas horas antes de amanhecer oferecerá maior quantidade de estrelas cadentes. 

28 e 29 de julho, 2013 - Delta Aquarids 
Esta chuva de meteoros, igual que a Eta Aquarids de maio, vai favorecer ao hemisfério Sul e as latitudes tropicais do hemisfério norte. Os meteoros darão a impressão de radiar desde a parte sul do céu. Será possível ver hasta 15 o 20 meteoros por hora. Diferente de outras chuvas de estrelas, a Delta Aquarids não tem um pico definido, por isso, poderá observar-se desde o fim de julho até incio de agosto. Os melhores tempos de observação serão a partir das 2 da manhã e especialmente 2 horas antes do amanhecer. 

10/11, 11/12 y el 12/13 de agosto, 2013 - As Perseidas ou Lágrimas de São Lourenço 
Esta chuva costuma ser mais visível depois da meia noite e por sorte, em 2013, a lua crescente nascerá a tarde. Serão mais visíveis poucas horas antes de amanhecer. Esta chuva de estrelas favorece ao hemisfério norte, entretanto será visível de qualquer parte do mundo. Tipicamente, estes meteoros vem da direção da constelação de Perseo, mas se você, como eu, não sabe onde danado está essa constelação, não se preocupe porque não necessitarás saber disso para desfrutar do espetáculo, já que a chuva aparecerá por todo o céu. As Perseidas são consideradas por muitas pessoas como a melhor chuva do ano, com um número de meteoros que podem chegar a superar os 50 por hora, começam na noite de 10 de agosto e continuam até o amanhecer de 13 de agosto. 

7 de outubro, 2013 – As Dracônidas 
Esta chuva vem de uma direção próxima da cabeça da constelação de Draco o Dragão no céu do norte e é por ele que as Dracônidas se observarão melhor do hemisfério norte. Esta chuva é especialmente excêntrica, já que seu ponto radiante se encontra no mais alto do céu ao cair da noite, a diferença da maioria das chuvas de estrelas que se observam melhor passando a meia noite. É importante ressaltar que historicamente, este não é um dos "shows" mais espetaculares, já que o número de meteoros por hora é bastante baixo. Entretanto, as vezes o Dragão acorda e nos dá agradáveis surpresas, jogando centenas e até milhares de meteoros por hora. Este ano a luz da fina Lua crescente não vai interferir muito nas Dracônidas. A melhor noite para observar esta chuva será ao anoitecer do dia 7, ainda que será visível no dia 8 também.

21 de outubro, 2013 - As Oriônidas
Este no será um bom ano para as Oriônidas devido a presença de uma brilhante Lua Gibada Crescente. Em anos com um céu escuro se pode alcançar a ver até 15 meteoros por hora. As Oriônidas deixam brilhantes traços e sua luminosa cabeça costuma ser bastante espetaculares, com sorte se pode ver algumas apesar da luz da lua. Este grupo de meteoros aparecem ao norte de Betelguese na Constelação de Orion. As Oriônidas serão visíveis tanto do hemisfério sul como do norte. As melhores vistas provavelmente ocorrerão antes do amanhecer do dia 21 de outubro. 

4/5 de novembro, 2013 - As Táuridas do Sul 
Esta chuva são para os mais aficionados, digo isso porque são mais difíceis de ver, porque são mais abertas e dispersas o que lhes favorece em uma duração de quase 2 meses (de 25 de setembro até 25 de novembro) mas geralmente não tem mais de 7 meteoros por hora, ainda que em seu ponto máximo, na noite de 4 e na madrugada de 5 de novembro. Serão visíveis de ambos os hemisférios. 

11/12 de novembro, 2013- As Táuridas del Norte
Este ano a Lua Crescente irá interferir durante a tarde e as altas horas da manhã. Mas poderá ser observado alguns meteoros depois que a Lua se pôr e antes do amanhecer. Também é uma chuva de larga duração (12 de outubro a 2 de dezembro) mas ao mesmo tempo bastante modesto. O número médio de Táuridas do Norte é de cerca de 7 meteoros por hora e tipicamente chegam ao seu ponto máximo por volta da 1 da manhã quando Tauro o Toro se encontra no alto do céu. Serão visíveis de ambos os hemisférios. 

16/17 de novembro, 2013 - As Leônidas 
Historicamente, as Leônidas produziram várias das chuvas de estrelas mais espetaculares da história, com milhares de meteoros por hora. Estas tormentas ocasionalmente recorrem ao ciclo de 33 ou 34 anos, mas é muito mais provável que o Leão não urja com tanta força, permitindo assim que vejamos esse ano de 10 a 15 meteoros por hora se tivermos sorte, porque este ano também brilha durante toda a noite uma bela lua cheia que irá ocultar muitos meteoros. Igual que as Oriônidas de outubro, as Leônidas são mais espetaculares ao passar da meia noite, alcançando seu ponto máximo justo antes do amanhecer. Também são visíveis de ambos os hemisférios. 

13/14 de dezembro, 2013 - As Gemínidas 
As Gemínidas são o último grande show do ano, produzindo até 50 meteoros por hora. Como regra geral, as Perseidas de agosto ou as Gemínidas de dezembro costumam ser as chuvas mais prolíferas do ano. Diferente de muitas chuvas de estrelas, as Gemínidas podem ser vistas a partir das 9 ou 10 da noite e os melhores tempos para vê-las será a partir da meia noite do dia 13 e antes do amanhecer do dia 14. Podem ser vistas de qualquer parte do mundo. 

Bom galera, espero que tenham curtido as informações e as dicas. Anotem em suas agendas os dias para curtir momentos fascinantes! E se caso resolverem seguir o plano romântico, é sempre aconselhável levar um certo equipamento pro "acampamento" tipo: lanterna, água, comida, cabana, vinho, manta, camisinha, etc... =P 
 Ah e não esqueçam de fazer seus pedidos a cada estrela cadente! (vai que funciona, neh?!)
Se lhe sobrar alguma estrela, por favor, peça pra que eu fique rica. =)

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Vamos tomar uma hoje?!

Hola caros leitores,

Como boa amante da cerveja, por mais que a nutricionista diga que a tire da minha dieta, isso se tornou algo meio impossível nas últimas semanas. Entre as belas viagens da vida, resolvi dar um pequeno break nos "Caminhos da Itália" e falar pra vocês dos novos sabores "cervejísticos" que andei provando. E posso lhe dizer que todos valeram a pena! 
Mas vamos ao que interessa, vou apresentar-lhes as novidades:


Cerveja: Baltika (Балтика) #9 Extra
Tipo: Dizem ser Barley Wine, mas eu achei sinceramente que era uma pilsen. 
Álcool: 8,0% ABV
Confesso que nunca tinha provado uma cerveja Russa, e a verdade é que não deixa nem um pouco a desejar, também nem podia, a cervejaria da Baltika é a maior fabricante de cerva da Europa do Leste e a 2ª maior de toda Europa, sendo superada somente pela Heineken.
Eu esperava mais, não vou negar, mas essa cerveja de coloração dourada, forma uma espuma cremosa branca de pequena duração que lhe dá um aspecto bem bonito. Possui aroma de malte suave, os 8% abv e o doce são as características mais presente no sabor, me pareceu um pouco estranho o sabor, melhor dizendo, diferente do que se espera em uma Barley Wine ou uma pilsen. É uma mistura de doce com alcoolico, meio amargo no final, me pareceu complexo o sabor, talvez pela mistura de elementos tão diferentes.
Para experimentar é sempre válido, admirei a cerveja pela ousadia de um sabor tão complexo, mas vou logo avisando que não foi uma das melhores que tomei.


Cerveja: Legado de Yuste
Tipo: Abadía
Álcool: 6,5% ABV
Elaborada segundo a tradição dos mestres cervejeiros de Flandes trazidos pelo próprio Carlos V em seu retiro no Monasterio de Yuste (Cáceres) há mais de 500 anos atrás. A cerveja é Española e verdadeiramente Andaluza, produzida pela Cruzcampo do Grupo Heineken, mas não é muito comum em bares.
Tem coloração bronze, com espuma ligeiramente tostada e um agradável aroma a caramelo. Seu sabor tem características afrutadas com toque de doce e final seco. É uma cerveja suave e saborosa.
O site da cerveja indica que ela seja acompanhada por pratos de carne de caça, como cordeiro, coelho, lebre ou pato ao forno e queijos semi-curados e cremosos, unidos geram um equilíbrio de sabor.
Eu não a provei com tanto requinte, o tira gosto foi lingua mesmo! XD


Cerveja: Hofbräu Münchner 
Tipo: Weisse
Álcool: 5,1% ABV
Viva aos amigos que lembram da amiga cervejeira! \o/ Essa foi presenteada pelo André, amigo véio das cachaças camaradas! Resolvi fazer calabresa pra acompanhar as belezuras. A cerveja que falamos aqui é a do lado direito, a Grimbergen eu já falei em outra ocasião, também uma ótima cerveja, se quiser dar uma olhada clique aqui.
A Hofbräu, cerveja de Munique, de trigo, vou lhe contar, viu?! Possui uma ótima dinkabilidade, refrescante, perfeita pra um dia de sol tostante na piscina de casa. Com espuma densa, bege, consistente e duradeira. O aroma e o sabor tem suaves características de cravo, banana e malte. Dxilícia! Recomendo muito! Com calabresa então... ai ai ai...

Beijão galera!

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Viagem: Veneza - Italia

Olá bloggers,

"Seguiamo il nostro viaggio!"
Saímos de Milão a noite em direção a Veneza, nesse trajeto pegamos 1 pedágio, que nos custou o "zói da cara" que é igual a 17,80 euretas, doeu no bolso, mas pelo menos esse foi o trajeto mais caro, comemos no meio da estrada (tudo muito caro nos postos e nada muito bom) e rumo ao descanso. Já estava ilusionada de me ver acordando em Veneza, parecia um sonho!
Ao atravessar a Ponte della Libertà, sabendo do que já havíamos passado em Milão (de não poder passar com o carro pelo local que nos interessava), até porque se tratava de Veneza né?! Água de todo lado, onde o meio de locomoção é barco, eu já esperava que teríamos que deixar o carro uma noite num estacionamento, que pelas minhas pesquisas prévias estavam bem na entrada da cidade, pensei também que com um pouco de sorte podíamos conseguir uma vaguinha free pelas ruas, mas triste ilusão.
Fizemos uma ronda, buscando por um bom preço pra deixar o carro. O primeiro que vimos, bem na entrada da cidade era longe, caro e a gente tava muito morto, não valia a pena, o segundo, meio escondidinho custava 38€ a noite, encontramos estacionamento que chegava a 70€ a noite, o que me revoltou totalmente porque percebe-se que é aquele velho momento de aproveitar do turista. Mas ok, por Veneza tudo vale a pena. Depois de rodar muito, com nervos a flor da pele e muito cansaço, encontramos um que custava 23€ a noite, que é um enorme prédio na rua principal em frente a Ca' Annelise, local perfeito, próximo da entrada da cidade, próximo da estação de barcos que dá acesso a cidade e bem próximo ao hotel que ficamos. 
Ficamos no Hotel Belle Epoque, eu o escolhi porque achei a decoração um charme, meio brega, eu sei, mas queria algo diferente, com toque romântico, organizado e não muito caro e esse foi. Quando chegamos lá, ás 23horas mais ou menos, portas fechadas, nos recebeu um senhor muito simpático, com um "buonanotte", ao fazer o check-in ele nos informou que além dos 50€ que pagamos antecipado pela diária tínhamos que pagar uma taxa de 1,50€ que cobra o Governo para que um turista durma em um hotel de Veneza no inverno, porque no verão custa  3€. #PegadinhadoMalandro


Uma maravilhosa noite dormida, acordar e ver aquele sol entrando pela janela foi como um sonho. Tomamos um café maravilhoso, bem completo e com um pessoal muito simpático, nos serviram de puta madre! Pegamos nossa trouxa de roupa e fomos deixar no carro, pra poder começar o passeio de verdade. 
Inicialmente lhes digo que o melhor de Veneza é andar pelas ruazinhas, descobrindo cada cantinho dessa linda cidade. De toda forma, lá vai algumas dicas de como passar um dia bem agradável em Veneza:

1. O primeiro pensamento ao ir de turismo a Veneza é querer passear de gondola, concordo que uma forma bem interessante de conhecer Veneza, ainda que se trate de uma das atividades mais caras que se pode fazer na cidade, mas se você não está muito disposto a pagar 80€, 100€ ou 120€ por um passeio de 30/40 minutos, existem 2 possibilidades: Compartir a gondola com outros viajantes, o próprio gondoleiro busca pra você, o que sinceramente acho que se você está com seu namorad@/noiv@/marid@, perde um pouco do encanto, isso também ocorre se tiver um frio da desgraça, onde nem a manta que o gondoleiro lhe dá evita queimar o rosto do vento frio (que foi nosso caso); a outra opção é a que nós aderimos (pelo motivo anteriormente citado), fazer o tradicional passeio de Vaporetto, que é o transporte público de lá, há 2 rotas muito interessantes a 1 e a 2, que vão pelos mesmo lugares praticamente, nos fomos na 1, essa rota vai pelo Gran Canal até a Piazza San Marco, passamos pelos principais pontos turísticos e ainda tivemos a ideia do que é viver em Veneza, em uma realidade totalmente diferente de locomoção. Mas alguns dizem que a linha 2 é melhor que vai pelo perímetro da ilha principal de Veneza e entra pelo Gran Canal, oferecendo as melhores vistas da cidade. Esse passeio nos custou só de ida, 6.50 €, o biglietto dura 1 hora, mas se você vai passar muito tempo ou vai fazer muitas viagens, eles vendem uns tickets promocionais, para verificar preços e mais informações clique aqui.
2. Na Piazza San Marco, além de ser uma praça muito agradável, realmente é belíssima, não é a toa que leva o nome do "salão mais belo da Europa". Ali estão também a maioria dos monumentos interessantes da cidade:
3. Basilica de San Marco, não paga nada pra entrar e está linda;
4. Campanile, para subir se paga um valor de 8€, de lá podemos avistar a ilha de San Giorgio Maggiori;
5. Palazzo Ducale, que está cheio de museus, os valores eu achei altos, não lembro agora exatamente quanto era, cerca de 16€ pra ver tudo que tem lá dentro. Nós não entramos, decidimos gastar nosso money com outras coisas, afinal estávamos no início da viagem.
6. Ao lado do Palazzo Ducale está a Ponte della Paglia de onde se pode ver a Ponte dei Sospire, uma das mais famosas e românticas pontes do mundo.
7. Do outro lado da Piazza San Marco, se pode ver um edifício belíssimo, que é a Chiesa di Santa Maria della Salute, a caminhada até lá é "longa", mas vale a pena, é lindo.
8. Tire uma horinha pra visitar a Ponte Rialto, eu confesso que esperava outra coisa, quando passamos de barco por ela, esperava ver flores e talz, a única coisa que vi foi uma ponte toda pichada, quando caminhamos por ela, pareceu um pouco mais interessante porque está cheia de lojinhas de souvenir e arte veneziana, vale a pena, porque é muito característica de Veneza, de certa forma eu interpretei a minha primeira impressão da ponte como uma ponte de beleza decadente que carateriza a cidade.
9. II Genio di Leonardo Da Vinci, nós encontramos por acaso, mas nos pareceu interessante, com carteira de estudante você consegue desconto, se não me engano pagamos 6€ a inteira e 3€ a estudante. Lá você encontra umas reprodução das anotações e invenções de Da Vinci, é pequeno, mas bem interessante. Depois fiquei sabendo que tem outro em Roma na Piazza del Popolo.
10. Se você curte uma jogatina, também pode dar um pulinho no Cassino de Veneza, chic de doer! Inclusive o ticket do Vaporetto te dá uma entrada grátis, acho que o negócio é novo por lá, eu vi só por fora, quando passamos de barco, mas realmente é algo que eu queria ir ver; infelizmente me dei conta já no final do dia, não dava mais tempo.
11. Se tiver mais de um dia em Veneza, alguns hotéis oferecem passeios às ilhas de Veneza, me pareceu interessante, vocês podem obter mais informações nos hotéis.

Para entender melhor Veneza, abaixo o Wikipédia explica como é suas subdivisões e inclui os links do próprio site caso queiram mais alguma informação: O centro da cidade segue uma tradição de divisão em bairros chamados sestieri (plural de sestiere). Os sestieri do centro histórico são os seis seguintes:

Cannaregio - o sestiere mais setentrional de Veneza. É neste sestiere que termina a Ponte della Libertà que liga a cidade ao continente e a estação ferroviária de Venezia Santa Lucia.
Castello - o mais oriental.
Dorsoduro (inclui a ilha Giudecca) - o sestiere mais meridional de Veneza. Fica a sul dos sestieri de Santa Croce e San Polo, englobando as ilhas situadas do outro lado do canal da Giudecca, à exceção da ilha de San Giorgio Maggiore que pertence ao sestiere de San Marco. O seu nome provém da natureza do terreno, mais duro que as terras envolventes.
San Marco - constitui o coração da fundação da Sereníssima e inclui a Praça de São Marcos, a Basílica e o Campanário.
San Polo - o mais pequeno, de um dos lados da ponte de Rialto.
Santa Croce - o mais ocidental, que pertencia à zona chamada Luprio, onde se encontravam os pântanos salgados nos primeiros tempos da história de Veneza.


Para comer:

Tramezzinis - a foto não é minha é do site "omahonymaya.typepad.com" 
Bem, o dia que ficamos em Veneza foi ótimo, tomamos muitos chás para esquentar, até as pombas invadiam os cafés para fugir do frio, mas pelo menos fazia sol; almoçamos em um lugar horrível, que se por acaso vocês tiverem o desprazer de encontrar esse bar/restaurante, La Toletta (o nome já soa em português toscamente), não ouse almoçar lá, fica na Via Dorsoduro, 1191; a única coisa que pode ser que preste ali são uns pãezinhos gordinhos recheados que vendiam bastante, chamados tramezzini, uma comida típica italiana, também tem bares de tramezzinis por toda Veneza, mas naquele lugar eu inventei logo de optar por um macarrão à carbonara que estava pior que um miojo.

Encontramos uma doceria fantástica, que realmente lamento não lembrar o nome, mas que se podia ver todos os doces no balcão do lado de fora, bem coloridos e tentadores, comemos uma tortinha de chocolate que ....ai, eu babo só de lembrar.

Para jantar, compramos suprimentos do velho misto frio em um supermercado local, assim podíamos ir comendo no caminho para Bolonha, a próxima cidade. 

Também encontramos uma cantina/loja especialista em vinhosEnoteca Giá Schiavi, resolvi comprar um vinho italiano ali, o atendente muito simpático nos mostrou alguns, quando falei que queria um suave e doce, me indicou um que eles mesmos produziam, um vinho de Veneza, nos deu para provar e lhes digo que foi a perfeita escolha, mais típico impossível, pagamos como 10€ na garrafa e o vinho estava delicioso, recomendo muito o local, tem vinho pra todo preço e gosto, além de que se quiser ir só pra tomar umas taças, também cai muito bem, tem um ambiente bem agradável.

Em suma, Veneza é fantástica, passar mais dias lá também deve valer a pena. Tudo bem, deixa um leve gostinho de quero mais, mas se você tem pouco dinheiro ou pouco tempo, um dia é suficiente pra conhecer os encantos dessa cidade cheia de história e caminhos belíssimos, mas lembre-se: tem que pôr sebo nas canelas.

Arrivederci!! 

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Viagem: Milão - Itália

Hi bloggers!

Como falei pra vocês, vamos começar de verdade nossa Italytrip! Nós começamos chegando em Bergamo, logo pela manhã (9hrs), mas nem visitamos a cidade, fomos direto a Milão, com tudo já programado, Milão inteira pra conhecer e ainda viajar pra Veneza no final do dia, não dava tempo de desviar muito.
Milão é uma cidade que pode ser bastante cara, ali você vê que o luxo tem destaque, claro que sempre tem lugar pro estudante muchileiro nas cidades da europa, mas te digo que com dinheiro no bolso e uma pequena tendencia a compra compulsiva, você estoura o cartão de crédito fácil. 
Mas vamos falar do que interessa ao estudante descobridor do mundo: Milão é uma cidade marcada pelo Duomo, catedral da cidade e que te digo, é uma passada! Muito lindo! Mas Milão não se resume só a essa catedral, tem muito mais pra explorar.
As coisas legais pra se ver estão próximas umas das outras, para se localizar melhor lhe disponibilizo o mapa monumental da cidade. A zona onde estão os monumentos, não é permitido que carros circulem, só circula com permissão, como taxis, ônibus e moradores da zona. Portanto busque um local pra estacionar, de preferencia que seja em uma zona permitida, busque a banca de revista mais próxima e compre o seu bilhetinho "zona azul" tipo esse que usa no Brasil. Caso contrário, você corre o risco de ganhar uma multa.


O que eu aconselho que você veja em Milão é:

1- A Santa Ceia de Leonardo Da Vinci, que está no Cenacolo Vinciano que é junto da igreja de Santa Maria delle Grazie. Você tem que comprar antecipada a entrada porque é muito solicitada e já digo logo o que mais me enfadou, foi não poder tirar foto, mas foi legal ver a obra original, inesquecível. O valor é de 6,50 euros por pessoa, se quiser um guia vc pode conseguir por 60 euros, para conferir essas informações e comprar, clique aqui.
2 - O Duomo, que conta com 2245 estátuas, sendo a mais querida a estatua dourada da Madonnina de Perego que está na agulha maior da igreja desde 1744. Foi iniciada em 1386 e tardou 501 anos para ser terminada, hoje é considerada uma das igrejas mais belas do mundo e a segunda maior em tamanho (a primeira é a de Sevilla). Ela fica na praça central da cidade e não paga nada pra entrar, dentro está cheia de obras de arte, que você passaria horas apreciando e tentando compreender sua história.
3 - Galeria Vittorio Emanuele, está bem ao lado do Duomo, é uma galeria comercial desenhada no século XIX por Giuseppe Mangoni, é um edifício em forma de cruz, possui algumas belas pinturas próximas ao teto e tem um estilo belissimo, essa galeria é famosa por possuir lojas de marcas de luxo como Louis Vuitton, Mercedes-benz, Prada, entre outras mais. Alguns aconselham tomar um café em um dos restaurantes da galeria, pra ter alguns minutos de luxo, mas eu confesso que fiquei com medo da facada.
4 - Castelo Sforzesco, contruido no século XV pela familia Sforza, foi residencia principal de Ludovico o Moro, que chamou os artistas mais conhecidos da época para transformar a rocha em uma elegante corte. Não paga nada pra entrar no castelo, só se paga se quiser entrar em determinadas áreas, para ver com detalhes as obras internas do castelo, nós não tinhamos muito tempo, então, só caminhamos pelo castelo e pelo parque que o rodeia que é belissimo, também tem outros monumentos ao redor do castelo e com a neve então, estava tudo muito lindo.
5 - Pinacoteca de Brera, se você curte arte, esse é um local que não se pode deixar de ir, você vai perceber como a arte é presente no dia a dia dos italianos, nessa Pinacoteca está uma enorme coleção das maiores obras de artistas italianos. Para mais informações, aqui está a pagina oficial: http://www.brera.beniculturali.it/
6 - Teatro alla Scala, o teatro é lindo, está em uma das saídas da Galeria Vittorio Emanuelle, se tiver a oportunidade de ir a um show, vale a pena, o local é encantador, tem um museu do teatro que custa pouquinho e te da o direito de ver algumas relíquias da história do Teatro e entrar no teatro.
7 - Estadio San Siro, se você é um amante do futebol ou não, é legal dar uma passadinha pra conhecer a grandiosidade do famoso estádio. A estrutura do estádio é fantástica, já recebeu inúmeros famosos cantores e no dia 14 de Junho de 2012 recebe a rainha do pop Madonna. Para verificar valores e comprar clique aqui. Nós não entramos porque não deu tempo, mas acredito que vale a pena se você se programar bem pra isso.

Em Milão, os locais que eu destaco são esses, claro que tem muito mais coisas por lá pra conhecer, caminhar pelas ruas é algo que eu achei maravilhoso, há muitas igrejas, por todo lado tem muitas pinturas, é realmente diferente do que eu estou acostumada, fiquei maravilhada com o ambiente. Você pode dar uma olhada no mapa que eu deixei no inicio, ou acessar o site Milan around para ver se algum outro monumento poderia interessar, mas esses que eu citei, são imprescindíveis ao visitar Milão.

Espero que tenham gostado galera! Nos vemos no próximo post que trarei pra vocês Veneza... =D

domingo, 1 de abril de 2012

Viagem: Itália


Hola pessoal!

Feliz dia da mentira!!! Eu sei que hoje é dia da mentira, mas hoje eu vim contar verdades e emoções da nossa ultima viagem. Na verdade são umas dicas baseadas nas experiências que tivemos na Itália. Tiramos umas férias inesperadas e resolvemos conhecer a tão sonhada Itália, lugar totalmente novo tanto para mim quanto para o Rodrigo, mesmo com o frio congelante, a oportunidade surgiu, então... fé em Deus e pé na tábua!
O roteiro que fizemos inclui 6 cidades: Milão, Veneza, Bolonha, Maranello, Pisa e Roma em 8 dias. Nessa exata ordem. Se tivéssemos mais uns dias gostaríamos de ter incluido Nápole e Florença (em italiano Firenze). E se fosse verão, seguro que teria buscado uma prainha também. 
Confesso que pensei muito em você meu querido companheiro blogger de viagem e queria muito contar todos os detalhes dessa viagem com a mesma intensidade que vivi, mas "agradavelmente" meu HD externo, onde eu tinha guardado o roteiro pra compartir com vocês, resolveu dar pau e todos os detalhes que eu tinha estavam nele. Independente dessa fatídica situação eu vou apelar pra minha memória e alguns papeis que guardei da viagem. Assim vou tentar indicar alguns lugares interessantes que acho que vocês, futuros viajantes à Itália, não podem deixar de ir. 
Eu vou fazer um post pra cada cidade, para não ficar muito extenso, então fiquem ligados que nos próximos dias contarei sobre as demais cidades na ordem que comentei antes. A priori eu gostaria de compartilhar algumas características gerais do país, que você pode tomar como alguns conselhos:

1 - "Prego" é uma expressão que o povo vai usar pra tudo lá (obrigada, olá, de nada, seja bem vindo, ok, quer comprar uma lembrancinha ...)
2 - Pedágios são chatos e caros, mas se você for no inverno (que foi nosso caso) aceite essa condição e vá pela estrada do pedágio, o caminho mais barato e mais curto nem sempre é o que vale a pena, principalmente se for uma montanha. (contarei sobre esse detalhe mais tarde ¬¬)
3 - Se alugar um carro, o que eu aconselho, lembre que além do valor do aluguel vc terá que deixar uma fiança de umas 500 euretas, quando devolver o carro eles lhe devolvem, as vezes esse valor pode ser negociável. E se tiver nevando, exija as correntes pros pneus, vc realmente pode precisar.
4 - Viagens de trem eu achei bem caras por lá, é possível que você consiga preços promocionais em alguns trajetos, é como comprar bilhete de avião, pode que consiga pegar uma promoção boa, mas se você vai acompanhado, seja por 1 pessoa, vale mais a pena alugar o carro.
- A gasolina da Italia é uma das mais caras da zona euro, o valor da gasolina nessa época era de aproximadamente 1,70 euros por litro e o diesel 1,66.
6 - O assunto Máfia Italiana, eu não ousei fazer perguntas sobre isso por lá e aconselho que você faça o mesmo, muitos que tentaram aconselham não entrar nesse assunto, as pessoas desconversam e não parecem ser muito amistosos sobre esse tema. Ela ainda existe, como você pode ver nas notícias da Exame, mas  tenha em conta que você está lá pra conhecer, fazer seu turismo tranquilo, então aproveite a viagem e deixe a máfia italiana pra ver em casa no seu sofá dando play no Poderoso Chefão.
7 - Se você vai pensando em manter sua dieta, esqueça, na Itália o mais fácil pra comer e que você vai ver por todo lado é: Massa, Pizza e Doces tentadores. (que por sinal, vale muito a pena se entregar)
8 - Lembre-se, quando ver no menu "parmegiana" não pense que tem a ver com a "nossa parmegiana", não tem nada de empanado, isso simplesmente indica que a base da comida é com queijo parmesão.
9 - O horário que a maioria dos restaurantes servem o almoço é mais ou menos das 11 horas da manhã ás 14hrs. Depois desse horário é difícil almoçar em um restaurante.
10 - O inverno italiano é realmente rigoroso, enfrentamos em fevereiro temperaturas de -9° até 10°. Tudo bem que pegamos uma frente fria que fez nevar em Roma, que não nevava há 15 anos, mas mesmo com todo frio dá pra conhecer bem as coisas, só precisa ter preparação e disposição pra enfrentar o frio e a neve.
11 - Se você tem pouco tempo pra passar pra lá e quer conhecer o máximo possível, eu realmente aconselho que você planeje o que quer ver, porque tem muuuuita coisa legal pra conhecer, principalmente se você vai no verão.
12 - O pessoal gosta de me perguntar quanto gastamos, eu gosto de dizer pra que você tenha uma ideia e possa se programar, mas tenham em conta que almoçamos fora todo dia e jantamos o que compramos em supermercado; não saímos de balada, porque o frio estava insuportável, compramos cerveja/vinho no supermercado e bebemos nos hotéis, até porque a gente tava morto de tanto andar e dirigir durante o dia; compramos lembrancinha pra família em todos as cidades e no final gastamos em torno de 600 euros cada um (incluindo passagens).
13 - As pessoas na Itália são receptíveis na maioria dos locais, nos hotéis, são maravilhosos, te explicam as direções maravilhosamente e digo que não há local melhor para pedir ajuda na direção correta a seguir. A maioria das pessoas falam inglês, francês e italiano, alguns até arranham no espanhol. Dá pra se comunicar e com o tempo você vai pegando umas palavrinhas em italiano que ajuda a conseguir as coisas.
14 - A Itália é muito show, se tiver a oportunidade de ir... vá! Porque vale muitoooo a pena!

Nos vemos em breve no próximo post! 
Ocorreu um erro neste gadget